Pai, me desculpe

Pai gostaria muito de te encontrar e dizer que você estava certo, quando me cobrava para que estudasse mais, quando dizia que eu não deveria aprender a fumar, nunca aprendi a fumar, enquanto tantos lutam para deixar de fumar. Pai, quando me dizia que nunca deveria furtar ou me apropriar de pertences de outras pessoas, hoje me orgulho de minha honestidade. Pai, você me ensinou que homens verdadeiros deveriam evitar brigas ou lutas, e que brigas não era sinal de coragem. Pai, eu não entendia porque tanto você exigia e cobrava um comportamento tão reto. Não posso mentir não senti tanto a sua falta naquela época, eu não sabia de nada. Hoje tenho a idade que você tinha quando partiu. Tenho duas filhas e um filho agora, e eu me vejo ensinando a eles o que você me ensinava quando criança. Gostaria muito de poder lhe agradecer, olhando em sua face e pedir desculpas por nunca ter feito isto quando você estava aqui. Nós não conversávamos, você tentava, mas eu era um jovem idiota. Sei que você não pode ler estas palavras, mas acredito que onde esteja você tomará conhecimento de meus sentimentos. Pai, diz o ditado: que aqui se faz aqui se paga, hoje tenho as mesmas dificuldades de falar com meus filhos, por mais que eu tente. Fico triste, daí me lembro do que fiz a você. Pai, me desculpe... eu te amo muito, sinto muito a sua falta, e você sempre existirá em meu coração.
J.D. Araujo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Uma Resposta

Somos a resposta exata do que a gente perguntou Entregues num abraço que sufoca o próprio amor Cada um de nós é o resultado da união De ...