Palavras que ferem...


As palavras muitas vezes cortam mais do que navalha e ferem tal e qual. Depois de proferidas, pouco se pode fazer para mudar a situação ou o efeito arrasador que podem ter causado. Quantas vezes alguém nos chega e fala sem critério de outra pessoa... Coisas que não diz respeito a quem ouve e menos ainda a quem conta. e quem ouve, em sua ignorância e muitas vezes por maldade, não perde tempo e repassa o que ouviu, quando deveria passar o que ouviu pelo crivo da verdade, da necessidade.

Repassam sem se preocupar se tais palavras, tais fatos, são verdadeiros; se irão atingir um terceiro, se magoarão alguém. Não pensam se há necessidade de repassar o que foi ouvido. Pois, pode não haver tal necessidade, pois nada acrescentarão a quem diz ou ouve. E, muitas vezes, acontece exatamente o contrário. Muitas vezes não passam de calúnias que podem destruir alguém. Muitas vezes, embora seja verdade, poderia ficar ali. Afinal, se se trata do erro de alguém, temos que pensar que também erramos e que poderíamos ser alvo de conversas assim.

Precisamos sempre nos colocar no lugar certo, pois só assim agiríamos impensadamente. A palavra pode ferir ou curar. Tudo depende da forma como é usada. Tentem conter a ansiedade antes de falar de outra pessoa. Não só podemos ajudar através de ações. Podemos ajudar muitas vezes com a falta dela, ou seja, não falando do que se desconhece, não repassando pelo simples gosto de repassar fatos. Policiemo-nos diante do que ouvimos. Não podemos nos recusar a ouvir, mas podemos e devemos nos recusar a dar segmento do que nos chega.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Uma Resposta

Somos a resposta exata do que a gente perguntou Entregues num abraço que sufoca o próprio amor Cada um de nós é o resultado da união De ...